Como consumir responsavelmente durante o período do Natal?

Por Bruno Rezende.

bruno rezende, coluna zero, consumo consciente, consumo responsavel, natal 2010, criatividade, sustentabilidade

Não é uma atitude fácil, mesmo para aqueles, como eu, que tentam consumir responsavelmente durante todo o ano. O mês de dezembro é uma época ingrata de consumo desenfreado. O bombardeio intenso com milhares de promoções, ofertas “imperdíveis” e descontos atingem em cheio o nosso lado consumista e também o nosso bolso, pois tais facilidades para comprar são a principal causa de endividamento dos consumidores. Sem contar que todo este consumismo só aumenta o volume de lixo. Pensando nisso resolvi selecionar aqui algumas sugestões simples, de tão simples chegam a ser bobas, mas que podem fazer alguma diferença no seu comportamento durante as compras para o Natal.

Antes de tudo eu gostaria de alertar aos leitores que não são regras, apenas simples propostas. Não pretendo publicar aqui um “manual do consumidor correto”, pois isso é uma utopia. Também não estou querendo ensinar ninguém a consumir responsavelmente, apesar de acreditar que isso deveria ser ensinado nas escolas. O que importa mesmo é usar a criatividade e a inovação no momento em que for presentear alguém. Listarei algumas formas, mas tenho certeza que muitos de vocês poderão fornecer mais idéias criativas ou adaptações nesta postagem, a intenção é sempre essa! Então vamos lá:

Planejamento dos gastos

Antes mesmo de prestar atenção em todas as promoções da TV é preciso saber o quanto já gastou para avaliar o seu poder de compra futuro. Muitos vão no impulso da promoção, da facilidade de pagamento e saem comprando, esquecem que futuramente terão que pagar todas as faturas. Portanto, é preciso fazer alguns os cálculos. Mas relaxe que não tem muito segredo.
Se você tem faturas de compras anteriores e ainda possui algumas parcelas para quitar, fique de olho nos valores e nas datas de pagamento delas. Não se esqueça também dos gastos do início de ano como impostos, matrículas escolares entre outros. O ideal é fazer um cálculo dos seus gastos para os próximos 4 meses. Feito isso você saberá o quanto poderá gastar neste Natal. Uma dica para economizar é comprar produtos à vista, pois geralmente têm descontos. Se não tiver descontos à vista, compre parcelado, mas fique de olho no valor e na quantidade de parcelas para não sair do seu planejamento.

Li um artigo muito bom publicado no último domingo por Antonio Pessoa Cardoso, desembargador do Tribunal de Justiça da Bahia, onde ele fala sobre o consumo compulsivo, as tentações das propagandas e a falência individual. O texto afirma que 35% dos consumidores compram sem planejamento algum e 15% se arrependem do que foi adquirido, porque não necessitam daquele produto. O artigo fala muito mais, vale à pena ler: clique aqui.

Comprar ou reformar?

Muitos aproveitam o 13º do fim de ano e as promoções do comércio para substituir algo que já têm por um modelo mais novo. Na maioria das vezes determinados produtos que estão funcionando perfeitamente não precisam ser substituídos, geralmente são os campeões de venda: eletrônicos.

Computador - Ao invés de comprar um novo computador, dê um “upgrade” no seu. Anualmente, mais de 20 milhões de toneladas de lixo eletrônico são descartados e a maioria não é reciclada.

Celular - Quer descartar o celular e comprar um smartphone, ok! Compre um smartphone top de linha, que supra todas as suas necessidades e não pense em trocá-lo por um bom tempo. Dê seu celular velho para alguém ou descarte-o de forma correta (em locais que reciclam eletrônicos), mas não jogue no lixo comum ou fique com ele parado em uma gaveta.

TV – Tome a mesma atitude que fará com o celular.

Se alguém aqui tem carro, reforme-o ao invés de trocá-lo. Mas você pode me falar que os carros mais novos poluem menos. Sim! Mas um kit GNV na sua caranga velha faz com que ela polua menos, gasta-se menos que trocar de carro e a economia de combustível é muito grande. Digo isso por experiência própria.

Os eletrodomésticos também são alvo dos consumidores nesta época. Mas você sabe quando deve trocar determinado eletrodoméstico? A Associação Nacional de Construidores de Casas dos Estados Unidos fez um estudo da expectativa de vida dos componentes de casa (eletrodomésticos e materiais de construção). O estudo foi realizado em 2007, mas é válido até os dias de hoje. Alguns dados interessantes foram revelados, por exemplo:

- Sistema de internet wireless dura mais de 50 anos
- Máquina de lavar roupas 10 anos
- Geladeira 9 anos
- Ar-condicionado de quarto 10 anos


Veja o estudo completo clicando aqui (em inglês), isso pode lhe auxiliar quando tiver dúvidas se deve ou não trocar alguma coisa dentro de casa.

Presentes alternativos

Os presentes alternativos podem representar muito mais do que um presente comum, tudo depende da sua criatividade. Você pode fabricar em casa um presente alternativo, opções não faltam. Em uma pesquisada rápida pela internet você encontra diversos sites e blogs que lhe ensinam a fazer diversas coisas. Além de ser muito barato você vai aprender a fazer algo diferente e inovador. Então mãos a obra!

Mas se você acha que não tem muita habilidade para isso, procure na sua cidade lojas de artesanato e dê preferência para produtos reciclados. Outra opção é pesquisar na internet, pois várias comunidades, cooperativas, entidades do terceiro setor e artistas disponibilizam seus artesanatos em blogs, como por exemplo, a ART&CACO, que faz um belo trabalho com caixas de MDF decoradas com cascas de ovos pintadas. Clique na imagem abaixo para ver alguns dos trabalhos.

bruno rezende, coluna zero, consumo consciente, consumo responsavel, natal 2010, criatividade, sustentabilidade, artecaco, art&caco, arte e caco

Existem também algumas lojas virtuais que comercializam produtos ecologicamente corretos e saem da mesmice de camisa de garrafa PET e ecobags de supermercados. Indico aqui a Greenvana e o Meu Mundo Sustentável, duas lojas com produtos bem interessantes e ecologicamente corretos.

Outra opção interessante pode partir dos sites de compras coletivas. Tudo bem que eles são os maiores estimuladores do consumo desenfreado, onde a pessoa compra o que não precisa só para aproveitar a oferta. Mesmo diante desta hecatombe consumista estes sites podem ajudar na hora de presentear alguém. Dentre as ofertas estão muitos serviços de beleza, pacotes turísticos, ingressos para parques de diversão, serviços gastronômicos, além de ingressos para teatros e cursos diversos. As duas últimas opções são ótimas, pois cultura e conhecimento estão em falta neste país. Ainda é raro encontrar promoções de cursos nestes sites, mas os que já foram oferecidos valem à pena.

Recomendações finais

Enfeites de Natal – Procure adquirir enfeites que possam ser reaproveitados por longos anos, assim você evita a compra anual de novos enfeites. Se possível tente fabricá-los vocês mesmo. Quanto ao pisca-pisca, dê preferência ao que utiliza lâmpadas de LED, além de ser mais econômica a durabilidade é bem maior.

Produtos piratas – São vários os motivos para recusar este tipo de produto. Não só pela ilegalidade na sonegação de impostos, mas porque a qualidade inferior reduz a durabilidade, ou seja, em breve o produto terá de ser descartado. Por mais tentador que seja o preço, recuse. Lembre-se também de quantas pessoas estão trabalhando como escravos onde estes produtos são fabricados.

Embalagens – Procure usar o mínimo possível de embalagens para embrulhar os presentes. Evite o plástico, dê preferência às sacolas ou caixas de papel. Você pode também optar por embalagens com maior durabilidade que poderão ter outras utilidades depois, como por exemplo, caixas de madeira.

Compras pela internet – Muitos produtos costumam sair mais baratos se comprados pela internet. Além do preço tem também a comodidade, pois fazendo compras sem sair de casa você evita o uso do carro, o trânsito caótico, a procura de vagas em shopping centers lotados. Se você não tem carro, evita de se espremer em ônibus, trens e metrô, que costumam “bombar” nesta época. Isto pode ajudar no seu humor, no ritmo da sua cidade e consequentemente à saúde do nosso ambiente.

Doações – Se você não vai mais usar alguma coisa que possui, doe. Se não te serve mais, se perdeu a utilidade para você, passe pra frente. E se não tiver como outra pessoa reutilizar, descarte corretamente, jamais no lixo comum.

Que esta postagem tenha alguma utilidade para vocês neste Natal. Acredito que cada um aqui possa, pelo menos, fazer uma reflexão disso tudo que falei. Espero que vocês sugiram mais idéias, portanto fiquem a vontade para divulgá-las.

Agora vá as compras, mas jamais se venda.




Pin It now!